sexta-feira, 8 de maio de 2009

Curso de Suporte Básico de Vida (SBV)


Ontem, dia 7 de Maio, entre as 19h30 e as 23h30, frequentamos um curso de Suporte Básico de Vida (SBV), promovido pela Cruz Vermelha, leccionado pelo formador Fernando Fernandes Gonçalves.

O curso teve como introdução uma breve apresentação sobre:
  • O que são os primeiros socorros;
  • Princípios orientadores dos primeiros socorros;
  • Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM).
De seguida, o formador explicou qual a sequência de avaliação e tratamento da vítima que deve ser adoptada de modo a estabelecer prioridades no acto de socorrer, sendo a vítima avaliada do aspecto considerado mais grave ao menos grave.

Sequência de abordagem e socorro:

1. Via aérea - obstrução da via aérea e estabilização cervical;
2. Ventilação pulmonar - renovação do ar alveolar;
3. Trabalho Cardíaco;
4. Alteração da consciência;
5. Exposição - primeiro local, depois total (ex: feridas, queimaduras, fracturas...).

Os objectivos deste curso são saber como:
  • abordar uma vítima;
  • executar correctamente compressões e ventilações.
Em relação à abordagem de uma vítima foi-nos apresentada uma sequência de procedimentos que devem ser seguidos sempre pela mesma ordem, são eles:

1. Avaliar as Condições de Segurança quer para o socorrista, quer para a vítima;
2. Avaliar o Estado de Consciência da vítima;
3. Se a vítima não responde, proceder ao Pedido de Ajuda;
4. Abrir a Via Aérea;
5. Avaliar a Ventilação da vítima;
6. Ligar 112;
7. Se a vítima não ventila normalmente, iniciar a Reanimação da mesma (alternar 30 compressões com 2 insuflações).

Após a transmissão dos conhecimentos teóricos, passámos à aprendizagem da parte prática do curso, tendo sido efectuadas as técnicas:
  • de desobstrução da via aérea em bebés, crianças e adultos, nomeadamente as pancadas interescapulares e a manobra de Heimlich;
  • e de reanimação cardio-pulmonar (RCP).
No caso da RCP foram simuladas várias situações em que deve ser efectuada, tendo sido testados os diferentes procedimentos que devem ser tomados em cada situação antes e durante a realização desta técnica.

No final do curso, todos os participantes foram sujeitos a uma avaliação prática para confirmar se todos os conceitos leccionados na formação tinham sido compreendidos e se os formandos estavam aptos a aplicá-los.

Quanto ao Certificado de Formação Profissional comprovativo da obtenção de aproveitamento na formação, fomos informados de que será emitido em Lisboa, demorando, por isso, algum tempo a chegar às nossas mãos.

Fazemos, então, um balanço positivo deste curso, considerando que foi uma mais valia não só para o nosso projecto, como para a nossa vida!

1 comentário:

helder lopes disse...

Gostaria de organizar uma formação deste género numa clínica médica na qual colaboro.

O tema pareceu-me interessante e bem estruturado. Será nos podiam dar o contacto do formador ou da entidade qe organizou a formação?

Obrigado
Helder Lopes (helderlopes@sapo.pt)